CAMS

Comissão discute políticas públicas de saúde voltadas para as populações prioritárias

48ª reunião da CAMS prioriza ações relacionadas aos direitos humanos e destaca prevenção combinada como estratégia para redução do estigma e do preconceito

24.10.2018 - 10:18
31.10.2018 - 19:11

 

[node:title]A importância do diálogo com a sociedade civil sobre políticas públicas de saúde voltadas para as populações prioritárias foi a temática da 48ª Reunião da Comissão de Articulação com Movimentos Sociais em HIV/Aids e Hepatites Virais (CAMS), ocorrida no dia 18 de outubro, em Brasília, promovida pelo Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, HIV/Aids e Hepatites Virais (DIAHV), do Ministério da Saúde.

Durante o encontro foram apresentadas prioridades com destaque para as ações com populações chaves e prioritárias, pessoas vivendo com HIV (PVHIV) e articulação com sociedade civil. A CAMS ainda ressaltou a necessidade de informações técnicas para os profissionais de saúde que fazem a aplicação da penicilina em usuários trans que fazem uso de silicone.

Em relação às prioridades, o destaque foi para questões relacionadas aos direitos humanos, com ênfase na prevenção combinada como estratégia para redução do estigma e do preconceito. Entre as demandas, a sociedade civil levantou a questão do racismo institucional, despreparo dos profissionais de saúde em relação ao uso do nome social nos serviços de saúde e identidade de gênero.

As ONG´s acentuaram também a necessidade de retomada do trabalho com jovens e colocaram como um dos eixos principais o trabalho em educação e saúde, com ênfase no programa Saúde nas Escolas (PSE), que visa contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

Uma outra preocupação levantada pelos membros da Comissão, diz respeito a sustentabilidade programática e garantia do acesso universal ao tratamento, num momento em que o país se prepara para as mudanças na gestão no executivo tanto nos estados quanto da União. Neste ponto específico, a Comissão decidiu que irá produzir uma nota pública em defesa da resposta brasileira ao HIV/Aids e hepatites virais e solicitaram empenho do Departamento no sentido de mobilizar as coordenações estaduais para os projetos da sociedade civil.

REGIMENTO INTERNO – Durante a reunião da Comissão, foi deliberado que o regimento será discutido nas bases dos movimentos que integram a CAMS para posterior aprovação.

Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV